Menopausa ou Andropausa

Analisamos a alteração dos níveis de produção dos hormônios sexuais de forma personalizada.

O processo de envelhecimento mexe com todas as funções do corpo humano. Mais do que nunca, após os 50 anos é necessário dar atenção integral à saúde para garantir uma longevidade proveitosa, com conforto e bem-estar.
Os termos menopausa e andropausa são muito utilizados para se referir à fase da vida em que mulheres e homens começam a ter uma diminuição na produção de hormônios sexuais. Entretanto, não é só a vida sexual que é afetada neste momento, outras vertentes também podem sofrer interferência, especialmente para as mulheres.

MENOPAUSA X CLIMATÉRIO

No dia a dia, costumamos chamar de menopausa a fase da vida da mulher em que ela passa pela transição do período fértil para o não fértil. Na verdade, todo esse processo leva o nome de climatério. Menopausa é, na verdade, o nome dado à última menstruação da mulher, por isso seu diagnóstico só pode ser dado após um ano, quando se tem a certeza de que as células germinativas dos ovários já não produzem mais óvulos.

Já o climatério, sendo o período de transformação hormonal da mulher, pode ser diagnosticado com base em alguns sintomas, por exemplo:

  • Irregularidades na menstruação (diminuição ou aumento de fluxo e de ciclo);
  • Ondas de calor no pescoço e tronco, às vezes acompanhadas de vertigem, palpitação e sudorese;
  • Irritação e/ou depressão;
  • Incontinência urinária, infecções e ressecamento vaginal;
  • Alterações na pele e na gordura corporal;
  • Diminuição da libido.

Além disso, a chegada da menopausa pode causar perda de massa óssea e levar à osteopenia e, mais tarde, à osteoporose. Outra preocupação dessa fase é com as doenças cardiovasculares, que são a principal causa de morte após a menopausa.

Os hormônios que deixam de ser produzidos pelo corpo da mulher neste período são o estrogênio e a progesterona, responsáveis pelo desenvolvimento das características femininas durante a vida.

ANDROPAUSA

Apesar de não ser tão falado, os homens normalmente começam a reduzir a produção de hormônios sexuais em torno dos 30 anos. No entanto, diferente do que acontece com as mulheres, essa produção normalmente passa por uma queda mais lenta e pode não apresentar sintomas.

A baixa produção do principal hormônio sexual do homem, a testosterona, tem como efeito mais evidente a diminuição da libido, que é o apetite sexual. Vale lembrar que a falta da libido não está ligada a problemas de ereção necessariamente. Pessoas portadoras de diabetes, por exemplo, podem ter disfunção erétil mesmo estando com a libido alta e testosterona em níveis normais, o mesmo pode acontecer com pessoas que sofrem de ansiedade.
Os motivos para a baixa da libido são vários, por isso é necessário que o caso seja analisado individualmente. A investigação é feita através de anamnese e exames clínicos, para que possam ser avaliadas todos os fatores interferentes.

Além da baixa na libido e de possíveis disfunções sexuais, a diminuição da produção da testosterona pode causar os mesmos sintomas vistos nas mulheres, como: irritabilidade, depressão, fadiga, enfraquecimento da memória, entre outros.

Uma questão importante a ser considerada é que o nível normal de testosterona no sangue varia de pessoa para pessoa. O que precisa ser encarado como um alerta para a saúde é a queda brusca dessa produção e não a quantidade obtida em um único exame. É indispensável que todos os indicadores sejam ponderados pelo especialista para o efetivo controle do nível de testosterona no organismo.

SOLUÇÃO DOS PROBLEMAS

Como já dito, a menopausa é a última menstruação de uma pessoa. Como tudo no corpo humano, a menstruação tem um papel importante, nesse caso, para o ciclo reprodutivo da mulher. Quando a menopausa acontece precocemente (antes dos 40 anos por exemplo) pode causar problemas hormonais graves para a mulher.

A principal causa da menopausa precoce é o ressecamento dos ovários. Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos apontou, por exemplo, que a suplementação com vitamina D pode contribuir para retardar esse ressecamento e prevenir a menopausa precoce.

Os sintomas causados pela baixa dos hormônios sexuais podem ser tratados clinicamente e com mudanças de hábitos de vida.

A alimentação é um fator muito importante a ser adaptado quando se fala em baixa de hormônios – andropausa ou pós menopausa -, nesse período o consumo de alimentos condimentados, ácidos, doces e cafeína não são indicados. Para saber do que o seu organismo precisa é necessário fazer um acompanhamento médico e nutricional a longo prazo.

REPOSIÇÃO HORMONAL

A reposição hormonal é o tratamento mais indicado para alguns dos sintomas da menopausa e andropausa. Consiste em repor os hormônios que todo homem e toda mulher produz, mas que vão tendo baixa durante a vida.

A terapia de reposição hormonal serve para homens e para mulheres. Entretanto, não é toda pessoa que precisa fazer essa reposição, nem mesmo todas as mulheres, que são mais afetadas pelos sintomas da baixa repentina de hormônios.

BENEFÍCIOS

O tratamento para sintomas da menopausa e andropausa precisa ser feito de forma pessoal e personalizada. Cada pessoa, de acordo com seu quadro clínico, tem necessidades diferentes de reposição e de intensidades de tratamentos.

A terapia de reposição pode ajudar a prevenir a osteoporose e doenças cardiovasculares. A TRH também é indicada para acabar com possíveis ardores e infecções vaginais causadas pela baixa na produção de hormônios.

Sintomas como irritação, depressão, alterações na pele e na gordura corporal também podem ser analisados e tratados clinicamente de forma personalizada quando diagnosticado o desnível hormonal.

PARA QUEM É ESSE TRATAMENTO?

O tratamento para a menopausa e andropausa é indicado para qualquer pessoa que possua os sintomas e se incomode com isso. A reposição hormonal e demais tratamentos clínicos são analisados caso a caso.

Em caso de sintomas precoces de menopausa ou andropausa, o contato com o médico é necessário porque a baixa de hormônios pode acabar afetando muitas áreas da sua vida.

E se você está chegando nos 40 anos e ainda não apresenta os sintomas, mas deseja se prevenir para passar tranquilamente por essa fase, também pode fazer um acompanhamento médico completo para garantir o seu bem-estar.

AGENDE SUA CONSULTA

Quem dá atenção à saúde vive melhor! Se você está preocupada ou preocupado com algum sintoma que reconhece em si ou se deseja garantir a passagem por esse período com um apoio profissional, venha ter uma conversa conosco.

O nosso objetivo aqui na Longevidade Personalizada é fazer um atendimento integral da saúde das pessoas, contribuindo para que tenham uma vida mais longa e saudável em todas as esferas da vida.

Envie uma mensagem no WhatsApp
Enviar mensagem