Equilíbrio hormonal

Equilíbrio hormonal: 6 dicas para garantir um envelhecimento saudável

Manter o equilíbrio hormonal é um desafio necessário, especialmente durante a fase de envelhecimento. Entre os 25 e 30 anos há o início do processo natural e progressivo da diminuição da produção hormonal. Neste período o corpo exige um cuidado maior com os hormônios para o alcance da longevidade saudável.

Mas será que é preciso esperar a redução dos processos físicos, químicos e biológicos do organismo para buscar a reposição hormonal?

Segundo as bases da medicina preventiva, a atenção às taxas hormonais deve ser constante. O desequilíbrio é sempre prejudicial ao organismo e deve ser tratado com cautela pelo médico, que, além dos níveis hormonais, deve analisar todos os fatores metabólicos do paciente.

Veja algumas outras dicas para garantir um envelhecimento saudável:

1) Fique atento para os sinais de desequilíbrio hormonal

Não espere envelhecer para se preocupar com o funcionamento do seu organismo. O desequilíbrio hormonal causa muitos efeitos no corpo e na mente das pessoas e isso não tem idade para acontecer.

Os sinais de desequilíbrio hormonal são variados e alguns podem ser identificados facilmente, como a síndrome do ovário policístico, o diabetes mellitus e o hipotireoidismo.

A baixa hormonal também pode dar sinais na pele, em manchas e estrías, por exemplo, ou no aumento repentino da oleosidade. A manifestação ainda pode ser percebida quando as unhas ficam enfraquecidas ou começam a surgir inchaços nos braços e pernas.

É importante ter em mente que, como qualquer tratamento de saúde, quanto mais tarde se inicia, mais difícil e lento é o processo de recuperação do corpo.

As novas gerações estão se preocupando mais com a alimentação e se dedicando às atividades físicas, o que é um ponto positivo para o envelhecimento saudável.

Além disso é imprescindível ficar atento aos sinais que o corpo dá e, se necessário, fazer uma visita ao médico para reverter eventual quadro de desequilíbrio metabólico.

2) Saiba como a alimentação afeta a produção hormonal

A alimentação saudável é um pilar importantíssimo para o envelhecimento sadio. Comidas como peixes, abacate, azeite e nozes devem estar presentes nas refeições sempre que possível, pois são ricas em gorduras monoinsaturadas e poliinsaturadas do tipo Ômega 3 (aquelas famosas “gorduras saudáveis”).

As gorduras mono e poliinsaturadas do tipo Ômega 3 proporcionam inúmeros benefícios à saúde, dentre eles a redução dos níveis de LDL na corrente sanguínea (vulgarmente conhecido como “colesterol ruim”); a regulação dos níveis de insulina e a diminuição da pressão arterial do indivíduo.

Outro ponto relevante no que toca à alimentação é o consumo de açúcar. Isso porque todo açúcar que entra no organismo vai para a corrente sanguínea, aumentando os níveis de glicose e estimulando o pâncreas a produzir e liberar insulina. A insulina, por sua vez, é um hormônio que faz com que a glicose em excesso seja transportada para o interior das células, onde poderá ser usada para produzir energia, armazenada como glicogênio ou ser convertida em gordura.

Mas cuidado! Quando falamos de açúcar não nos referimos ao tradicional açúcar de mesa, tecnicamente conhecido como sacarose. É preciso ficar atento aos açúcares recomendados (xilitol, stevia, açúcar de côco, etc.) e aos níveis de açúcar contidos nas frutas, os quais, em níveis elevados, podem ser prejudiciais à saúde.

Dê atenção à sua alimentação!

3) Livre-se do desequilíbrio emocional

O funcionamento do corpo humano é sistêmico, ou seja, tudo que acontece com uma pessoa a afeta física e emocionalmente. Quando sentimentos como raiva, tristeza e culpa são muito recorrentes, eles podem estar ligados ao desequilíbrio hormonal.
O sentimento de raiva, por exemplo, pode ter relação com problemas cardiovasculares; a tristeza, sinalizar baixa imunidade e o medo pode estar ligado a níveis de estresse elevados.
Na atualidade, estamos nos acostumando a viver com tensão e ansiedade, o que não é o estado ideal do organismo.
Cuide de si por inteiro! Lembre-se que corpo e mente não se dissociam!

4) Durma bem e mantenha o corpo saudável

Sabemos que dormir mal ou poucas horas por dia não faz bem, não é mesmo? Muita gente subestima o sono, mas ele é um dos principais responsáveis pela nossa regeneração diária e deve ser valorizado.

O recomendado, em moldes gerais, é que uma pessoa durma no mínimo 7 horas por noite e em um ambiente completamente escuro. Por isso, o indicado é que as horas de sono se iniciem antes da meia noite, pois os hormônios têm um horário regular para serem produzidos e essa regulação está associada à percepção da claridade pelo organismo.

Durante o sono ocorre recuperação muscular, queima de gordura, bem como produção de importantes hormônios como o GH (hormônio do crescimento) e de testosterona.

O sono desregulado pode provocar o aumento dos níveis de cortisol na madrugada e diminuição durante o dia, o que gera perda de energia durante o dia e insônia à noite. Além disso, o cortisol em desbalanço facilita a queda de imunidade e memória; o aumento de ansiedade; ganho de peso e pode influenciar até mesmo no desenvolvimento de depressão.

Privilegie o seu sono! Descanse e deixe o seu organismo trabalhar.

5) Dê mais valor à vitamina D

A vitamina D é essencial para o corpo humano.

Todo mundo já sabe que ela tem grande relação com a saúde dos ossos, mas é pouco divulgado que também é responsável por auxiliar na regulação do crescimento, do sistema imunológico, cardiovascular, dos músculos, do metabolismo e da insulina.

Alguns alimentos podem auxiliar na absorção de vitamina D pelo corpo, mas a forma mais eficaz de garantir a quantidade correta dessa vitamina no organismo é se expondo cerca de 20 minutos de sol por dia, sem protetor solar, preferencialmente no início da manhã ou no final da tarde.

Se a sua rotina não permite a absorção ideal de vitamina D através da alimentação e do sol, é possível fazer suplementação oral ou injetável da vitamina.

Aproveite!

6) Conheça a terapia de reposição hormonal isomolecular

Os hormônios são essenciais para manter o corpo funcionando em harmonia. Por este motivo é necessário ficar atento aos sinais de desequilíbrio hormonal para, sendo preciso, ajudar o organismo a se reestabelecer e otimizar metabolicamente os seus níveis.

A queda na produção de hormônios sexuais, especificamente, costuma acontecer a partir dos 40 anos, mas a indicação médica para reposição deve ser fundamentada em várias vertentes e, com base em análise minuciosa feita pelo especialista, a prescrição poderá ocorrer antes ou depois da idade mencionada. É necessário uma análise pormenorizada do indivíduo como um todo, de forma personalizada, para que a reposição seja efetiva para a maximização da saúde e do bem-estar do paciente.

Para a reposição, existem os hormônios sintéticos e os isomoleculares (bioidênticos). A diferença é que os hormônios isomoleculares carregam a mesma molécula que os hormônios naturais produzidos pelo corpo humano, ao passo que os hormônios sintéticos (não-bioidênticos) são produzidos em laboratório e tem estrutura molecular estranha aos hormônios naturalmente produzidos.

Pesquisas apontam maior eficácia e menos efeitos colaterais nos tratamentos de reposição realizados com os hormônios bioidênticos, justamente pelo fato de o corpo humano reconhecê-los como parte organicamente integrante do organismo.

Mas é necessário lembrar que o procedimento só deve ser realizado por indicação e com acompanhamento médico, seguindo todos os critérios e protocolos estabelecidos internacionalmente para que o tratamento seja efetivo e não gere surpresas desagradáveis.

Observe-se! Se você está percebendo sinais que podem significar a baixa produção de hormônios no seu corpo, independente da sua idade, procure um especialista para analisar seu quadro clínico a avaliar se você tem indicação de terapia de reposição hormonal.

Cuidar do seu organismo é essencial para ter uma vida saudável.

Para ficar de olho nas suas taxas hormonais e planejar um tratamento exclusivo, conte conosco. A Clínica Longevidade Personalizada é um espaço de cuidado com a saúde, com foco na prevenção e no reestabelecimento do equilíbrio das funções vitais. Afinal, você pode e merece que seu organismo trabalhe com níveis de excelência.

Dr. Victor Paviani

Compartilhe
Publicado por
Dr. Victor Paviani

Posts recentes

Saiba como o anticoncepcional influencia no desejo feminino

Na década de 1960, a primeira pílula anticoncepcional chegou ao mercado e tornou possível uma…

3 anos atrás

Saiba como o anticoncepcional influencia no desejo feminino

Na década de 1960, a primeira pílula anticoncepcional chegou ao mercado e tornou possível uma…

3 anos atrás

Saiba como reconhecer a falta de nutrientes no seu corpo

Para evitar a falta de nutrientes no corpo, nada é mais importante que o conhecimento…

3 anos atrás

Coronavírus e imunidade: entenda o perigo e como prevenir

Se você está minimamente antenado nos noticiários nacionais e globais, com certeza já se preocupou…

3 anos atrás

Genética e doenças: saiba como descobrir e utilizar o mapeamento genético a seu favor

Apesar de a predisposição genética ser um fator chave para o desenvolvimento de algumas doenças,…

3 anos atrás

Entenda porque comer de 3 em 3 horas pode não ser uma boa ideia

O corpo humano é uma máquina muito inteligente e a fome é um recurso que…

3 anos atrás