Categorias: Longevidade

Genética e doenças: saiba como descobrir e utilizar o mapeamento genético a seu favor

Apesar de a predisposição genética ser um fator chave para o desenvolvimento de algumas doenças, a relação entre a genética e as doenças nem sempre é tão simples. Hoje, o mapeamento genético pode auxiliar especialistas a prevenir ou adiar doenças, mas também é importante dar atenção a outros fatores como aos hábitos de vida e às questões ambientais.

De maneira simplificada, as variações genéticas podem gerar três tipos de doenças: doenças cromossômicas, como a Síndrome de Down; doenças monogênicas, como a hemofilia; e doenças multifatoriais, como o Alzheimer. É especificamente sobre esse último tipo que vamos falar hoje.

Doença genética ou maus hábitos?

Muitas doenças multifatoriais podem ser evitadas ou adiadas mesmo quando estão presentes na genética do indivíduo ou existam casos em diversas gerações da família. Nesse caso, a principal arma contra os genes em desordem são os hábitos de vida, aqueles que você já conhece, como: prática de exercícios físicos, alimentação balanceada, muita ingestão de água, entre outros.

Existem diversas pesquisas que mostram que a herança genética é uma das possíveis causas da diabetes. Então, vamos imaginar um núcleo familiar que tem muitos casos de pessoas com diabetes tipo 2, no entanto, mesmo com essa predisposição, somente dois dos quatro filhos do casal (ambos diabéticos) acabam desenvolvendo a doença.

A explicação é: mesmo indivíduos com predisposição genética acabam não expressando doenças e disfunções por terem hábitos de vida mais saudáveis.

A falta de atividades físicas e o desequilíbrio alimentar, por exemplo, são agravantes para várias condições: além da diabetes, diversos tipos de câncer, asma, alergias, hipertensão arterial, obesidade e doenças cardíacas geralmente tem relação com a genética, mas podem ser evitadas ou adiadas com uma vida regrada e saudável.

Toda e qualquer pessoa deve incluir na rotina os hábitos de beber água em abundância, comer bem, praticar exercícios etc, mas aqueles que têm consciência de uma condição genética desfavorável, devem ter ainda mais atenção quanto aos hábitos de vida, isso porque ficam ainda mais suscetíveis.

Como descobrir se tenho predisposição genética?

Não é possível alterar a genética, mas sabendo da influência dela, é possível mudar os hábitos de vida a fim de diminuir os riscos de desenvolver doenças complexas e multifatoriais como câncer, doenças cardiovasculares e diabetes.

Para descobrir uma predisposição genética, os profissionais da saúde costumam fazer entrevistas (anamnese) com os pacientes e através da história pessoal e familiar é possível chegar a algumas conclusões. Outro procedimento que tem se popularizado é a realização de exames de mapeamento genético, geralmente realizados à partir da saliva ou do sangue.

Mapeamento genético e o tratamento das doenças

O mapeamento genético é uma área relativamente nova da medicina no mundo todo. Pode parecer uma ação futurista, mas já está a disposição de milhares de pessoas, inclusive no Brasil. No ano passado, pesquisadoras da USP firmaram uma parceria com o Google e prometeram criar um banco de DNA exclusivamente brasileiro, serão feitos mais de 15 mil coletas de saliva e, destas coletas, três mil serão catalogadas no projeto DNA do Brasil.

Para ter o seu próprio mapeamento genético, é importante contar antes com a avaliação de um especialista. Isso porque um mapeamento genético simples — de sequências selecionadas — custa em média R$500 e pode ser entregue até em 48 horas. Já um mapeamento completo (exoma por exemplo) pode custar mais de R$12 mil. Os exames mais simples podem ser feitos em laboratórios comuns, nos mesmos onde são realizadas as coletas e análises de exames de sangue.

Mas não se engane, apesar de mais acessível, fazer a leitura correta de um mapeamento genético não é uma tarefa tão simples, por isso é importante contar com a ajuda de um especialista. Com o exame em mãos, o médico pode indicar ao paciente com assertividade as sequências genéticas que precisam de mais atenção, além de facilitar para a indicação de hábitos para o dia a dia.

Aqui na clínica Longevidade Personalizada, nós avaliamos cada paciente de maneira única com conversas, exames e dietas pensadas uma a uma. Se você ainda tem dúvidas sobre a sua predisposição genética e doenças que possam surgir, agende uma visita e vamos desmistificar essa relação juntos.

Dr. Victor Paviani

Posts recentes

Saiba como o anticoncepcional influencia no desejo feminino

Na década de 1960, a primeira pílula anticoncepcional chegou ao mercado e tornou possível uma…

2 meses atrás

Saiba como o anticoncepcional influencia no desejo feminino

Na década de 1960, a primeira pílula anticoncepcional chegou ao mercado e tornou possível uma…

3 meses atrás

Saiba como reconhecer a falta de nutrientes no seu corpo

Para evitar a falta de nutrientes no corpo, nada é mais importante que o conhecimento…

3 meses atrás

Coronavírus e imunidade: entenda o perigo e como prevenir

Se você está minimamente antenado nos noticiários nacionais e globais, com certeza já se preocupou…

3 meses atrás

Entenda porque comer de 3 em 3 horas pode não ser uma boa ideia

O corpo humano é uma máquina muito inteligente e a fome é um recurso que…

4 meses atrás

Entenda o que a sua dor de cabeça tem a ver com a alimentação

As dores de cabeça são extremamente incômodas e prejudiciais à produtividade. Todo mundo já passou…

5 meses atrás