Emagrecimento

Entenda porque a obesidade aumenta o risco de câncer

Conforme dados do Ministério da Saúde, cerca de 20% da população brasileira está obesa. Você sabia que isso traz diversos problemas para a saúde do indivíduo e que a obesidade aumenta o risco de câncer? O aparecimento cada vez mais frequente do câncer está intimamente ligado aos maus hábitos da população. Entre os principais fatores de risco estão o tabagismo, a ingestão de bebidas alcoólicas, a radiação solar e a obesidade.

Conforme a Organização Mundial da Saúde, a obesidade e o sobrepeso estão relacionados a pelo menos 14 tipos de câncer. São eles, o câncer de estômago, esofago, cólon, reto, útero, vesícula biliar, rim, fígado, mieloma múltiplo, ovário, pâncreas, próstata, mama e tireoide, que somados, correspondem a 50% dos casos de doenças diagnosticadas por ano no Brasil.

Já uma pesquisa realizada pela USP em parceria com a Universidade de Harvard, estima que cerca de 4% desse total dos casos de câncer poderiam ser evitados com o controle da alimentação e do peso. 

É importante ressaltar que o sobrepeso, em si, não é necessariamente um problema na vida das pessoas. Os próprios profissionais da saúde se dividem quanto à classificação da obesidade como doença, isso porque ao mesmo tempo que é fundamental reconhecer que a questão do peso é um tema complexo e que, muitas vezes, não é um caso somente de força de vontade, classificá-la como doença pode acabar contribuindo para aumentar a estigmatização de pessoas que já estão sofrendo preconceito na sociedade.

Os dados mostram a relação entre obesidade e câncer, mas o que de fato torna essa propensão mais alta? É o que vamos ver no próximo tópico.

Importância de uma alimentação consciente

O Instituto Nacional de Diabetes e Doenças Digestivas e Renais, com sede nos Estados Unidos, divulgou uma pesquisa que mostra que ao consumir alimentos ultraprocessados, os voluntários da pesquisa acabaram comendo até 500 calorias a mais por dia que os que estavam comendo alimentos in natura (arroz, feijão, proteína e salada). As calorias estão associadas ao maior consumo de carboidratos e gorduras e diminuição das proteínas, que deveriam ser a base da alimentação humana.

Os alimentos ultraprocessados são os maiores inimigos das dietas saudáveis atualmente. Os pratos congelados, salgadinhos, bolos prontos e mistura para bolos, cereais matinais, macarrão instantâneo, pães de forma, sorvetes, salgadinhos e outros produtos encontrados nas prateleiras dos supermercados fazem parte desse grupo de alimentos.

Muitas vezes esses produtos são vendidos como sendo de um sabor, por exemplo, amêndoas, e as amêndoas sequer estão presentes no preparo deles. É comum que muitos dos ingredientes que aparecem nos rótulos desses tipos de produtos sequer estejam disponíveis para usarmos em casa, como o isolado proteico de soja, maltodextrina, caseína, soro de leite e outros. Isso parece bom para você? É porque não é mesmo.

Os alimentos ultraprocessados estão diretamente ligados com o aumento do aparecimento de casos de câncer, não é à toa que uma das principais recomendações do Instituto Nacional de Câncer é o não consumo desse tipo de alimento, tanto para evitar o câncer, quanto para evitar o reaparecimento dele após a realização de tratamento.

5 dicas para combater a obesidade

Algumas atitudes simples podem contribuir para controlar o peso e diminuir a chance de doenças graves como o câncer. Comece aplicando essas cinco dicas no dia a dia e já verá uma melhora, não só na questão do peso, mas também na disposição para encarar os dias.

1) Substitua os alimentos ultraprocessados

Biscoitos, salgadinhos, refrigerantes… É difícil resistir aos alimentos ultraprocessados, não é? Mas é imprescindível para manter a saúde. Principalmente entre uma refeição e outra, esse tipo de alimento costuma estar super à mão e ajuda a saciar aquela fome momentânea, mas o indicado para essas horas é apostar no consumo de castanhas e outros grãos ou frutas.

2) Beba água

Nada de refrigerantes, cervejas e sucos industrializados. Se você está buscando perder quilos, substitua os líquidos que você bebe no dia a dia por água, chá ou café sem açúcar (com moderação, para não ficar acelerado demais). 

O corpo precisa de água para funcionar corretamente, o indicado é que uma pessoa beba 35ml de água para 1kg de peso corporal, por dia. O cálculo é bem simples: 35 vezes o seu peso, dividido por mil. Supondo que você tenha 80kg, seria: 35×80 = 2800/1000 = 2,8 litros de água por dia.

Mantenha-se sempre acompanhado de uma garrafinha d’água, preferencialmente de vidro. As garrafas de alumínio também são bastante utilizadas, mas elas acabam mudando o sabor da água e podem contaminar a água com alumínio. E as garrafas de plástico sofrem alterações pelo desgaste e pelo clima e acabam liberando Bisfenol-A, uma substância associada a vários tipos de câncer.

3) Exercite-se

Sozinhos os exercícios físicos não são capazes de combater a obesidade, mas eles são parte fundamental desse processo. Na hora de escolher uma atividade, é melhor dar preferência às atividades na água. Na água, o impacto é reduzido, facilitando a perda de peso sem prejudicar o corpo. 

Mas independente do esporte escolhido, é importante fazer uma avaliação médica antes de iniciar os exercícios. Isso vai garantir que você faça uma aula com o ritmo adequado. E não esqueça do alongamento antes de iniciar a atividade.

4) Evite o álcool e o cigarro

Ao contrário de alimentos açucarados e gordurosos, que mesmo fazendo mal trazem alguns benefícios para o corpo, as bebidas alcoólicas e o cigarro não trazem benefício algum para o funcionamento do corpo.

Além disso, uma pesquisa realizada pelo Francis Crick Institute, de Londres, descobriu que as bebidas alcoólicas ativam os sinais neurais que são responsáveis pelo alerta da fome, por isso, depois de beber as pessoas acabam sentindo mais fome e embriagadas, dificilmente vão optar por comer alimentos mais saudáveis e nutritivos, correndo para os fast foods.

Já o cigarro, além de aumentar os riscos de câncer, gastrite, bronquite, enfisema, cárie, entre outros problemas, também compromete o paladar, fazendo com que as pessoas optem por alimentos com mais açúcar e gordura. A velha história de que os hábitos de beber e fumar emagrecem já caiu por terra para a ciência.

5) Procure um profissional

Com certeza você conhece muitas pessoas que estão há muito tempo tentando emagrecer sem o auxílio de um profissional e não estão obtendo resultado. Talvez você mesmo seja uma dessas pessoas… Isso acontece porque, ao contrário do que muitas pessoas acreditam, o processo de emagrecimento não depende só da força de vontade. 

Na Longevidade Personalizada, sempre que iniciamos o processo de emagrecimento com um paciente, investigando todos os possíveis fatores que podem contribuir para a dificuldade em manter o peso ideal, de questões ambientais a possíveis problemas hormonais. 

Por entendermos cada pessoa como um ser único, cada dieta é única também. Nada de receitas prontas encontradas em capas de revistas. Se você está preocupado com o seu peso e com o fato da obesidade ser um risco para o câncer, entre em contato com a gente e vamos agendar uma consulta para compreender o seu caso e pensar em um plano ideal de tratamento para você!

Dr. Victor Paviani

Compartilhe
Publicado por
Dr. Victor Paviani

Posts recentes

Saiba como o anticoncepcional influencia no desejo feminino

Na década de 1960, a primeira pílula anticoncepcional chegou ao mercado e tornou possível uma…

3 anos atrás

Saiba como o anticoncepcional influencia no desejo feminino

Na década de 1960, a primeira pílula anticoncepcional chegou ao mercado e tornou possível uma…

3 anos atrás

Saiba como reconhecer a falta de nutrientes no seu corpo

Para evitar a falta de nutrientes no corpo, nada é mais importante que o conhecimento…

3 anos atrás

Coronavírus e imunidade: entenda o perigo e como prevenir

Se você está minimamente antenado nos noticiários nacionais e globais, com certeza já se preocupou…

3 anos atrás

Genética e doenças: saiba como descobrir e utilizar o mapeamento genético a seu favor

Apesar de a predisposição genética ser um fator chave para o desenvolvimento de algumas doenças,…

3 anos atrás

Entenda porque comer de 3 em 3 horas pode não ser uma boa ideia

O corpo humano é uma máquina muito inteligente e a fome é um recurso que…

3 anos atrás