Categorias: Longevidade

Exames laboratoriais: por que me sinto doente se meus exames estão normais?

Em alguma fase da vida você já se sentiu doente, sem energia, cansado o tempo todo e, ao procurar um médico e realizar exames, foi tranquilizado com a informação de que está tudo normal? Infelizmente só o resultado positivo nos exames não garante uma vida com vigor.

A sensação de indisposição pode estar associada a fatores não biológicos, mas o “falso” resultado satisfatório também pode ter relação com uma questão bastante relevante: os exames laboratoriais são feitos para dar resultados que demonstrem a normalidade metabólica em uma população muito ampla. Para você ter noção, em boa parte dos exames, um homem de 15 anos e um de 50 terão como parâmetro os mesmos números referência.

Além da idade, outras questões precisam ser analisadas na hora de considerar o resultado demonstrado pelo exame, como a utilização de medicamentos diários, os hábitos de vida, dentre outras coisas.

Como funcionam os exames laboratoriais?

Logo depois que você faz a coleta do material para exame (por exemplo o sangue), os tubos de ensaio são enviados para laboratórios, onde máquinas analisam o sangue com base no que foi requisitado a elas. Esse processo é totalmente automático e nada humano.

Os exames laboratoriais são, portanto, uma função muito mais matemática do que médica. Os resultados em gráficos e planilhas saem quase que instantaneamente, permitindo a observação de diversas informações dentro de alguns padrões pré-estabelecidos, como por exemplo, que entre 12 e 16 g/Dl de hemoglobina é um valor normal para mulheres.

Mas esse parâmetro de medição vale, então, para todas as mulheres? De todas as idades e fases da vida? Para o sistema… Sim! Por isso os exames precisam ser lidos por um médico de confiança, de preferência que conheça o seu histórico e hábitos de vida.

Os exames laboratoriais são feitos com base em um cálculo matemático onde imagina-se que se de 100 mulheres, por exemplo, 95 têm entre 12 e 16 g/Dl de hemoglobina no sangue, isso significa que esse é o valor de referência para todas as mulheres. 

Por isso, muitas vezes, mesmo passando um pouco da referência uma pessoa pode estar perfeitamente saudável. Da mesma forma que alguém que está dentro das referências pode estar tendo um mal-estar devido a fatores pendentes de investigação.

Importância do tratamento personalizado

Sabe aquela frase tradicionalmente dita pelas mães, “você não é todo mundo”? 

A máxima se encaixa perfeitamente nessa questão. Por mais que a maioria das pessoas esteja dentro da normalidade estabelecida nos índices estabelecidos pelos laboratórios, um exame laboratorial não pode garantir, por si só, que a saúde de um paciente está perfeita.

É neste momento que a formação humana dos profissionais da saúde deve ser o diferencial. Os profissionais precisam saber ler os resultados numéricos, mas mais do que isso, devem saber relacioná-los com a vida e os hábitos de cada paciente individualmente.

A medicina personalizada enxerga cada ser humano como um ser único e isso não seria diferente na hora de analisar os exames laboratoriais. 

Um profissional da “nova medicina” busca utilizar a tecnologia a favor de uma medicina humanizada e não se tornar refém dessa tecnologia.

Como os exames são mostras de comparação com outras pessoas, é imprescindível que além de requisitá-los, o médico faça a sua própria investigação do que acontece no organismo do paciente.

Se você fez exames laboratoriais e os resultados ficaram dentro do indicado pelo laboratório, mas mesmo assim você se sente mal, é sinal de que outros fatores devem ser analisados. 

Não é fazendo sempre os mesmos exames que se vai chegar a um resultado diferente. 

Normalmente após os 30 anos o corpo começa a “envelhecer” e se torna mais suscetível a diversas doenças. 

Nessa fase da vida, principalmente, é hora de aproveitar e planejar como continuar aproveitando a vida com saúde.

Os exames laboratoriais são indicativos importantes, mas é necessário olhar para a saúde de forma integral. 

Na “nova medicina”, o processo de prevenção e cura das doenças é visto de forma sistêmica, pensando o corpo físico e psíquico do indivíduo, trabalhando outras áreas da saúde como um planejamento nutricional ideal para tipo de pessoa e estilo de vida.

Se você está procurando por uma clínica que trate você como um ser humano único e por um médico que esteja ao seu lado em todos os momentos, venha para a Longevidade Personalizada e conheça nossos tratamentos e métodos para um envelhecimento saudável.

Dr. Victor Paviani

Posts recentes

Saiba como o anticoncepcional influencia no desejo feminino

Na década de 1960, a primeira pílula anticoncepcional chegou ao mercado e tornou possível uma…

1 ano atrás

Saiba como o anticoncepcional influencia no desejo feminino

Na década de 1960, a primeira pílula anticoncepcional chegou ao mercado e tornou possível uma…

1 ano atrás

Saiba como reconhecer a falta de nutrientes no seu corpo

Para evitar a falta de nutrientes no corpo, nada é mais importante que o conhecimento…

1 ano atrás

Coronavírus e imunidade: entenda o perigo e como prevenir

Se você está minimamente antenado nos noticiários nacionais e globais, com certeza já se preocupou…

1 ano atrás

Genética e doenças: saiba como descobrir e utilizar o mapeamento genético a seu favor

Apesar de a predisposição genética ser um fator chave para o desenvolvimento de algumas doenças,…

1 ano atrás

Entenda porque comer de 3 em 3 horas pode não ser uma boa ideia

O corpo humano é uma máquina muito inteligente e a fome é um recurso que…

1 ano atrás